A consultora de aleitamento conta quais os principais desafios do aleitamento materno e explica como solucioná-los.

Materia retirada do site julianakenzi. Veja a materia na integra aqui.

Poucas pessoas sabem, mas a amamentação é um grande aprendizado tanto para a mãe quanto para o bebê. O belíssimo ato de amamentar passa a ser um desafio já nas primeiras horas de vida do bebê e na primeira vez que ele é colocado para mamar, por isso, é muito importante que a mãe esteja cercada por uma rede de apoio preparada para auxiliá-la neste processo.

O movimento feito pelo bebê na barriga da mãe para se alimentar é completamente diferente do movimento que ele precisa fazer durante a ordenha. Além disso, a amamentação é muito idealizada pelas mães o que gera, muitas vezes, frustações para a mulher ao deparar-se com os primeiros desafios.

Pensando nisso, a enfermeira pediatra e consultora de amamentação parceria de Philips Avent, Eneida Souza, listou as principais dificuldades deste momento e as dicas de como solucioná-las facilmente. Confira abaixo.

  1. A amamentação na prática

Muitas vezes o calor da emoção e, até mesmo, a instabilidade hormonal do pós parto contribui para o esquecimento de passos importantes do começo da amamentação. “Por isso, dê tempo ao tempo, aproveite cada momento que a maternidade proporciona e não tenha vergonha de pedir ajuda à equipe de enfermagem, principalmente nas primeiras mamadas”, explica a consultora.

  1. Desperte bem o bebê na hora de mamar

Nos primeiros dias de vida os bebês dormem muito, afinal, eles ainda estão se adaptando a um ambiente diferente daquele em que estiveram durante os meses da gestação. Além disso, é importante saber que eles nascem com uma reserva e podem não sentir tanta fome nas primeiras horas de vida. Mesmo assim, não deixe de estimulá-lo oferecendo os seios periodicamente, mesmo que seja preciso acordar o bebê para mamar.

  1. O bebê perderá peso e isso é normal

É importante saber que nos primeiros dias o bebê pode perder até 10% do peso que nasceu, sem prejuízo algum para o seu desenvolvimento. Então, mantenha a amamentação ativa levando em consideração a frequência com que o bebê é levado ao peito e não necessariamente, o tempo em que ele passa sugando a mama.

  1. Prepare-se para a apojadura

Passado 3 ou 4 dias após o nascimento do bebê, ocorre uma alteração fisiológica nas mamas da mulher conhecida como apojadura. Este é o sinal da descida do leite materno em volume maior. O processo pode ser dolorido, as mamas poderão ficar quentes, endurecidas e doloridas, portanto, faça bastante massagem nos seios com movimentos circulares e coloque o bebê para mamar com frequência. Se as mamas estiverem muito doloridas, utilize a bolsa térmica gelada por 2 minutos para aliviar o desconforto. O processo da apojadura dura cerca 24 horas, depois desse período os seios já ficam mais maleáveis.

  1. Fissuras podem ocorrer

Para a maioria das mães os primeiros dias da amamentação não são fáceis. É preciso lidar com o sono, se empenhar para que o bebê faça a pega correta, estimular o bebê a mamar com frequência entre outras coisas. E, durante este processo, os mamilos podem apresentar fissuras que são pequenas rachaduras no mamilo que ocasionam dor e, em alguns casos, até sangramento. Nessas situações a mãe pode passar seu próprio leite no mamilo, pois ele ajuda na cicatrização. Além disso, é indicado evitar o contato do mamilo com tecidos e uma boa solução para isso é o uso de concha protetora para os seios. Outro ponto importante é buscar ajuda de uma consultora de amamentação para identificar a causa da fissura.

  1. O bebê não está ganhando peso, e agora?

Para as mães que estão amamentando e o bebê não está ganhando peso adequadamente, devido à baixa produção de leite, a indicação é usar o extrator de leite por 10 minutos em cada mama após a amamentar a criança para ajudar na estimulação da produção de leite.

“A amamentação requer muito empenho, dedicação, orientação e auxílio de toda a rede de apoio. O processo de aprendizado é intenso, mas com o tempo a experiência se torna mais tranquila e prazerosa e a mãe se torna mais segura e feliz”, complementa a profissional.

Eneida Souza é enfermeira pediatra, consultora em aleitamento materno pela Universidade da Califórnia em Angeles (UCLA-CA) e terapeuta sistêmica para família, casal, individual. Atualmente, é parceira de Philips Avent.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.